Chocolates artesanais geram renda e oportunidades durante a Páscoa
Viviana Ossani, de 23 anos, aposta na produção artesanal e diz que competem diretamente com os ovos de chocolate industrial
Chocolates artesanais geram renda e oportunidades durante a Páscoa
TRABALHO - Viviana Ossani investe na produção dos ovos de chocolate artesanais há cinco anos (Foto: Flávia Placideli/O ECO)
A Páscoa pode ser uma boa oportunidade para quem deseja aumentar a renda. A cada ano, os ovos de chocolate artesanais vêm ganhando mais espaço na competição direta com os ovos industrializados, vendidos nos supermercados e lojas do segmento. Para quem já trabalha com confeitaria ao longo do ano, essa é a época em que as encomendas aumentam significativamente.
Viviana Ossani, de 23 anos, há cinco anos aposta na produção artesanal de ovos de chocolate no período da Páscoa. Ela conta que sempre gostou de preparar pratos doces, desde a época da infância, quando ajudava sua avó a fazer bolos na cozinha, mas diz que a decisão de começar a produção dos doces artesanais como fonte de renda aconteceu quando ela engravidou de sua primeira filha.
“Quando eu estava terminando o colegial, engravidei da minha primeira filha, eu já havia prestado vestibular e estava me preparando para entrar na faculdade. Com a descoberta da gravidez, acabei desistindo, fiz um curso de Gestão de Recursos Humanos (RH) no Senai e, na época, trabalhava em um supermercado de Lençóis. Após minha licença maternidade, eu não queria deixar minha filha aos cuidados de outra pessoa e decidi, então, que eu mesma iria cuidar. Assim, procurei um meio de trabalho que desse para eu conciliar o serviço doméstico com a atividade, foi quando comecei a fazer doces”, explica.
Desde então, a confeiteira diz que produz doces para todos os tipos de eventos, aniversários, casamentos, chás de bebê, chás de cozinha, entre outros, mas ressalta que a maior procura acontece durante a Páscoa. Viviana conta que no ano passado já recebeu muitas encomendas, só que este ano superou suas expectativas. Segundo ela, as pessoas têm percebido que os ovos artesanais são mais saborosos e mais econômicos.
Dentro dos mais conhecidos sabores de chocolate vendidos nos supermercados, Viviana atende aos mais variados pedidos e gostos. São mais de 20 sabores de ovos de colher, 10 de ovos trufados, opções de ovos infantis, vazados e texturizados em formas de coração, coelho, além dos tradicionais. Com muita criatividade, alguns ovos ainda acompanham cestinhas, barquinhas e caixinhas, para quem quer presentear. 
O preço dos ovos de Páscoa pode variar de R$ 9 a R$ 95 dependendo do tamanho, tipo e sabor. As encomendas dos chocolates podem ser feitas em suas páginas do Facebook (Sofi Doces), Instagram (@docessofi) e pelo Whatsapp ((14) 99747-1782), porém, neste ano a procura foi tão grande que a confeiteira encerrou as encomendas na última quarta-feira (10). Mais de 100 pessoas fizeram os pedidos, totalizando aproximadamente 500 ovos, entre os tradicionais, de colher, de caixinha, etc.
“A procura nesta época do ano é muito grande. Os ovos que mais saem, geralmente, são os de colher, com sabores de brigadeiro, leite ninho com Nutella, Kinder Bueno, Ferrero Rocher e Sensação”, destaca Viviana, que estipula ainda que até a Páscoa, para a confecção dos quase 500 ovos, irá utilizar 127 quilos de chocolate e mais de 300 caixas de leite condensado, fora os outros ingredientes para os recheios, como as frutas. 
“Eu costumo falar que toda Páscoa para mim é um desafio por conta dos meus três filhos pequenos. Junta toda a responsabilidade de mãe, esposa, empresária e dona de casa, mas, apesar de toda a correria, para mim é muito gratificante poder ver o resultado final de cada ovo de Páscoa, que são produzidos com muito amor e carinho para cada cliente”, finaliza.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2019 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia