publicidade
Vacinação contra a gripe começa nesta quarta-feira (10)
Foco da primeira etapa da campanha são crianças menores de seis anos, gestantes e puérperas
Vacinação contra a gripe começa nesta quarta-feira (10)
CAMPANHA - Vacinação contra a gripe começa nesta quarta-feira (10) em todo o país (Foto: Divulgação)
Tem início nesta quarta-feira (10) a Campanha de Vacinação Contra a Influenza. Atendendo recomendação do Ministério da Saúde, municípios de todo o país começam a imunizar as pessoas que compõem os grupos considerados de risco. A campanha deste ano está programada para se estender até o dia 31 de maio. O Dia D de mobilização contra a doença está marcado para o dia 4 de maio.
Em Lençóis Paulista, segundo informações da assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal, durante todo o período da campanha as Unidades de Saúde disponibilizam a vacina das 14h às 19h, com exceção da unidade do distrito de Alfredo Guedes, que oferece o serviço das 8h às 17h. A meta na cidade é vacinar 13,4 mil pessoas que compõem o público-alvo.
Na primeira etapa da Campanha de Vacinação Contra a Influenza, que começa nesta quarta-feira (10) e se estende até a próxima quinta-feira (18), devem ser vacinadas apenas as crianças de seis meses a seis anos incompletos (cinco anos, 11 meses e 29 dias), gestantes com qualquer período de gravidez e puérperas (mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias).
A partir da segunda-feira (22), a vacina será liberada para as demais pessoas que integram o grupo de risco: profissionais de saúde, idosos, indígenas, pessoas com comorbidades (hipertensos, diabéticos, obesos e portadores de doenças crônicas e outras condições clínicas especiais - alguns casos necessitam de encaminhamento médico), professores (das redes pública e privada), pessoas cumprindo pena em unidade prisionais ou instituições socioeducativas.
De acordo com a assessoria de imprensa, a Secretaria de Saúde vai designar, a partir da segunda-feira (22), equipes para a vacinação de forma itinerante. A estratégia é voltada exclusivamente aos professores, que devem ser atendidos nos locais de trabalho, e às pessoas acamadas, que vão ser vacinadas em suas residências, sendo necessário apenas informar o endereço nas respectivas unidades de referência.
REGIÃO
Em Agudos, a Secretaria de Saúde adotou um cronograma diferente de vacinação. Desta quarta-feira (10) até a quinta-feira (18) o foco são as crianças de seis meses a seis anos incompletos, gestantes e puérperas. Na semana seguinte, da segunda-feira (22) até a sexta-feira (26), recebem a vacina os profissionais da saúde. Entre os dias 29 de abril e 3 de maio, o atendimento se concentra nos idosos.
O cronograma segue entre os dias 6 e 10 de maio, com a imunização das pessoas com comorbidades; entre os dias 13 e 15, com a aplicação da vacina nos professores; e entre os dias 20 e 31, para os demais integrantes do grupo de risco. Para os indígenas, a vacina é liberada durante toda a campanha. As pessoas acamadas também devem ser atendidas em casa, mediante solicitação na Unidade de Saúde mais próxima.
Nas cidades de Pederneiras e Macatuba o cronograma de vacinação é o mesmo, com a primeira etapa, desta quarta-feira (10) até a quinta-feira (18), voltada exclusivamente para o atendimento das crianças de seis meses a seis anos incompletos, gestantes e puérperas; ficando o atendimento liberado para as demais pessoas que compõem o grupo de risco a partir da segunda-feira (22). A reportagem não conseguiu informações nas cidades de Areiópolis e Borebi.
DIA D DE MOBILIZAÇÃO
Assim como nos anos anteriores, a Campanha de Vacinação Contra a Influenza terá um Dia D de mobilização nacional, com todas as Unidades de Saúde do país funcionando em sistema de plantão para o atendimento das pessoas do grupo considerado de risco. Neste ano, a mobilização está marcada para o dia 4 de maio, sábado, das 8h às 17h. Em Lençóis Paulista, a única exceção é o distrito de Alfredo Guedes, onde o atendimento ocorre das 8h às 13h.
Brasil registrou mais de 6,7 mil casos em 2018
A influenza é uma infecção viral respiratória aguda e altamente contagiosa, sendo mais grave do que um resfriado comum, podendo levar a complicações médicas sérias. A doença pode afetar qualquer pessoa em qualquer idade, sendo facilmente transmitida através da tosse, espirro e contato próximo com uma pessoa ou superfície contaminada.
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a ocorrência de casos da influenza pode variar de leve a grave e até levar a óbito. A hospitalização e o óbito podem ocorrer principalmente entre os grupos de alto risco. Em todo o mundo, estima-se que epidemias anuais resultem de 3 a 5 milhões de casos de doença grave e cerca de 290 mil a 650 mil óbitos.
Em todo o Brasil, segundo dados fornecidos pelo Ministério da Saúde, o número total de casos confirmados no ano passado foi de 6,7 mil. A região Sudeste concentrou o maior número de pacientes infectados com os vírus influenza, com 46,6% dos registros. São Paulo, por sua vez, foi o estado com maior número de óbitos, com 42,1% das quase 850 mortes registradas. 
TRIVALENTE
A vacina distribuída na rede pública de saúde é a trivalente, ou seja, protege contra os três tipos de vírus mais frequentes (H1N1, H3N2 e influenza B). Para 2019, o Ministério da Saúde destaca que houve alteração de duas cepas na vacina. Isso ocorre em virtude dos vírus que estão em circulação no momento. Justamente por este motivo, é necessário tomar a vacina todos os anos.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2019 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia