Irmãos se reencontram depois de 50 anos separados
Laércio Gonçalves Rosa e Rosângela Brandão cresceram achando que eram primos e descobriram a verdade apenas neste ano
Irmãos se reencontram depois de 50 anos separados
ENCONTRO - Marcado por muita emoção, encontro dos irmãos Laércio e Rosângela aconteceu ontem (29) no Terminal Rodoviário de Bauru(Foto:Arquivo Pessoal
A história é de novela. Dois jovens primos, Laércio Gonçalves Rosa, de 55 anos, e Rosângela Brandão, de 54 anos, nascidos em Londrina, no Paraná, descobriram recentemente, após uma revelação de um tio, que na verdade são irmãos. Depois de mais de 50 anos sem se verem, o reencontro aconteceu em Lençóis Paulista, onde mora atualmente Laércio.
Tudo começou quando as irmãs Maria Gonçalves Rosa e Antonieta Gonçalves ficaram grávidas, no ano de 1965. Depois de um parto complicado, o bebê de Antonieta nasceu morto e a irmã Maria, que já tinha outros quatro filhos, a pedido de sua mãe doou sua filha que nascera na mesmo época para amenizar a dor de sua irmã. 
“Na verdade, eu acredito, que a troca foi feita porque minha mãe se relacionou com seu cunhado, marido da minha tia e, que hoje, eu sei, que nós dois, eu e Rosangela, somos filhos dele”, explica Laércio.
Laércio e Rosângela moraram na mesma casa, como primos, durante a infância até os cinco anos de idade. Porém, com medo da aproximação das crianças e da revelação do segredo, Maria Gonçalves mudou-se para o município de Macatuba com seus quatro filhos. 
Laércio conta que sua tia Antonieta, ao descobrir que sua filha Rosângela era na verdade sua sobrinha, filha de sua irmã Maria Gonçalves, e que a sua verdadeira filha havia morrido no parto, teve um choque. “Com a descoberta, Rosângela foi abandonada aos 12 anos e nunca mais foi vista. Morou em cidades do estado de São Paulo e depois foi morar na cidade de Cuiabá, no Mato Grosso, onde reside até hoje”, conta Laércio.
Maria, mãe de Laércio, mesmo sem revelar o segredo, sempre deixou uma pista para seu filho, de que sua irmã que havia nascido morta se chamava Rosângela, mesmo nome de sua prima. “Eu sinto que minha mãe sempre quis revelar o segredo para mim e meus irmãos. Mas, por respeito a sua mãe e irmã, acabou morrendo sem contar a verdadeira história da nossa família e sem poder ver sua filha já adulta”, conta ele.
E assim se passaram meio século de vida. Recentemente, o tio Geraldo de Laércio, escreveu uma carta para ambos, revelando todo o segredo que permaneceu guardado durante 50 anos. “Na carta, meu tio conta que somos irmãos legítimos, e que nós precisávamos saber da verdade”, explica.
Após a revelação, os irmãos marcaram o encontro que não podia ter sido diferente. Marcado pela emoção, eles se reencontraram ontem (29), na chegada de Rosângela no Terminal Rodoviário de Bauru, onde Laércio foi buscá-la e esperava ansioso pela sua chegada.
“Eu não tenho palavras para descrever tamanha emoção e felicidade em poder encontrar a minha irmã caçula. Eu estou vendo minha mãe nela, elas se parecem muito, não tem como negar que é filha. Quando você pensa que a vida não te reserva mais surpresas, você acaba ganhando um ente tão querido”, ressalta. 
Para Rosângela não foi diferente, a descoberta que Laércio era seu irmão a trouxe muita emoção e a vontade de revê-lo depois de tantos anos separados. Ela conta que a passagem havia sido comprada para o próximo dia 12 de abril, mas que, ansiosa com o reencontro, resolveu antecipar a data.
“Após descobrir toda a verdade sobre minha vida, eu fiquei muito ansiosa em rever meu irmão Laércio, e fui na rodoviária e pedi para antecipar a data da passagem e cá estou eu. Eu não tenho palavras para descrever esse momento. Estou muito feliz em descobrir que eu tenho um irmão mais velho e por ter ganhado uma família, com cunhadas, sobrinhos, tios e tias”, finaliza.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2019 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia