Casos de pedras nos rins ocorrem mais no verão
Pouca ingestão de líquido e sal em excesso aumentam a incidência em até 20%
Casos de pedras nos rins ocorrem mais no verão
PREVENÇÃO - Para se prevenir contra as pedras nos rins, o primeiro passo é beber muito líquido, de preferência água (Foto: Divulgação)
No verão, as pessoas transpiram mais e nem sempre ingerem líquido suficiente para hidratar o corpo. Esse fator, somado ao consumo de alimentos industrializados, ricos em sódio, facilita o aparecimento dos cálculos renais, popularmente conhecidos como pedras nos rins. Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), a incidência aumenta drasticamente na estação mais quente do ano, quando cerca de 20% das pessoas são afetadas.
De acordo com Luciana Cardon, médica Nefrologista, fatores hereditários e estilo de vida podem ser grandes causadores da doença, que afeta em torno de 15% da população brasileira. “No verão, ocorre um aumento da transpiração e a ingestão de água nem sempre é elevada. A urina fica mais concentrada, favorecendo a formação dos cálculos”, afirma.
A especialista explica que nem todas as pedras são retiradas de forma cirúrgica e que os cálculos podem ser assintomáticos durante anos. “Em torno de 85% dos casos, as pedras são pequenas, com até quatro milímetros, e são expelidas naturalmente pela urina, mas as a chance de as pedras voltarem é grande e quem já teve pode até ter mais de uma vez”, relata a especialista.
Os principais sintomas dos cálculos renais são fortes dores, náuseas, vômitos, febre, presença de sangue na urina e sensação de bexiga cheia com maior frequência para urinar. Para se prevenir, o primeiro passo é beber muito líquido (o ideal é até dois litros por dia), de preferência água. Também é importante controlar o sal com uma dieta equilibrada; não consumir alimentos ricos em sócios, como, por exemplo, caldos e temperos prontos, refrigerantes, macarrão instantâneo, sucos artificiais, entre outros; e não abusar de proteínas, principalmente as carnes vermelhas, que aumentam a quantidade de ácido úrico e favorecem o surgimento das pedras nos rins. Também é preciso ter cuidado com a ingestão de cálcio, principalmente para quem já tem histórico familiar.
DOENÇA SILENCIOSA
Os rins controlam a quantidade de água e sal, eliminam toxinas, ajudam a controlar a hipertensão arterial, produzem hormônios que impedem a anemia e a descalcificação óssea e eliminam medicamentos e outras substâncias ingeridas.
As doenças renais são silenciosas e quando aparecem alguns sintomas pode ser muito tarde. Existem algumas doenças que podem ter o cálculo renal como o primeiro sintoma e evoluir para algo mais sério.
“Quem tem cálculos de repetição, pode desenvolver doença renal crônica e até necessitar de diálise se não realizar o acompanhamento corretamente. Qualquer sinal é um alerta. É necessário que o paciente sempre procure um médico Nefrologista ou Urologista de sua confiança”, completa Luciana Cardon.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2019 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia