Conselho do Idoso inicia diagnóstico situacional
Empresa contratada trabalha junto com membros da comissão de Lençóis Paulista
Conselho do Idoso inicia diagnóstico situacional
REUNIÃO - Encontro realizado na quarta-feira (6) reuniu membros do Conselho do Idoso com os profissionais da empresa de Agudos (Foto: Divulgação)
O Conselho Municipal do Idoso (CMI) de Lençóis Paulista iniciou no dia 18 de janeiro o projeto de diagnóstico da situação da pessoa idosa no município. Trata-se de um levantamento detalhado para saber onde e como vivem as pessoas com 60 anos ou mais, se ainda estão ativas, se necessitam de cuidados médicos, qual a situação social, quais regiões da cidade se concentram mais, entre outros aspectos.
O projeto do diagnóstico situacional da pessoa idosa no município está sendo desenvolvido pela equipe de profissionais da empresa ganhadora da licitação, Cristiano V. Camilo Treinamentos, da cidade de Agudos, que irá desenvolver nos próximos seis meses um projeto de coleta de dados quantitativos e qualitativos.
“O diagnóstico local a ser realizado pelo Conselho Municipal do Idoso deve ter como referência os direitos fundamentais da população idosa, codificados na Política Nacional do Idoso e no Estatuto do Idoso. As informações geradas deverão permitir a identificação dos tipos, incidência e distribuição territorial das violações de direitos e dos fatores geradores de vulnerabilidade e vitimização das pessoas idosas, bem como as lacunas e fragilidades do sistema de atendimento”, explica a gerontóloga Nádia Placideli Ramos, membro do Conselho Municipal do Idoso.
O projeto idealizado pelo Conselho Municipal do Idoso, está sendo viabilizado por meio do investimento ao Fundo Municipal do Idoso de Lençóis Paulista através da destinação de verbas das deduções do Imposto de Renda de pessoas físicas e empresas locais. Todo o desenvolvimento do projeto está sendo acompanhado por uma comissão do Conselho através das reuniões no município.
“Demos um avanço com início do diagnóstico situacional. Através dessa formulação será possível a implantação de políticas públicas para o envelhecimento em nossa cidade. Para que esse desafio seja adequadamente enfrentado, é preciso que os Conselhos dos Direitos do Idoso e as políticas setoriais existentes em cada município, como a saúde, assistência social, educação, cultura, esportes e lazer, transportes, moradia, acessibilidade, trabalho e renda, entre outras somem forças, articulem-se com os serviços controlados pelos Estados e atuem conjuntamente, buscando conhecer a realidade da população idosa para transformá-la de maneira sustentável”, ressalta Ivens José Casali, novo presidente do Conselho Municipal do Idoso de Lençóis Paulista.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2019 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia