Brasil possui maior taxa de ansiedade e depressão do mundo
Segundo relatoria da OMS, problema atinge 9,3% da população
Brasil possui maior taxa de ansiedade e depressão do mundo
ALARMANTE - Dados revelam que somente em dezembro houve um aumento de 15% no número de ligações de pessoas que procuram apoio emocional (Divulgação)
O último relatório divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) revelou dados alarmantes sobre a saúde mental no mundo. Atualmente, 322 milhões de pessoas sofrem com depressão, correspondendo a 4,4% da população mundial. Somente nos últimos 10 anos, esse índice aumentou 18,4%. Os dados também sinalizam a necessidade de uma preocupação maior para o Brasil, que ocupa o primeiro lugar no ranking dos países mais deprimidos e ansiosos da América Latina. O país também tem a maior taxa global, com o problema atingindo 9,3% dos brasileiros.
O relatório também indica tendências sobre o comportamento das pessoas, principalmente em algumas épocas do ano, como em dezembro e janeiro, que estão relacionados às mudanças e novos planos, afetando ainda mais quem sofre com algum tipo de transtorno. Nesses períodos são comuns balanços dos meses passados, que podem gerar frustração, além das perspectivas em relação a um novo ciclo e às realizações de novos projetos.
O psicólogo, especialista em medicina comportamental e hipnoterapeuta, Valdecy Carneiro, explica que nos meses de dezembro e janeiro, existe uma intensificação nas campanhas de saúde mental. “As expectativas para o ano que está começando e a análise do ano que termina, costumam deixar as pessoas mais angustiadas e depressivas. As campanhas de prevenção são importantes para quem sofre com qualquer tipo de transtorno, pois reforçam a necessidade de se buscar ajuda e indicam como fazê-lo”, explica Carneiro.
Dados do Centro de Valorização da Vida (CVV) revelam que somente em dezembro houve um aumento de 15% no número de ligações recebidas de pessoas que procuram apoio emocional, em relação a outros meses. Alguns comportamentos merecem atenção, já que podem sinalizar que a pessoa está com problemas em relação à saúde mental e que necessita de ajuda.
O psicólogo lista alguns sintomas que são mais comuns para quem sofre de depressão, como irritar-se frequentemente, chorar sem motivos e manifestar humor oscilante. “As reclamações frequentes de insatisfação consigo, demonstrando baixa autoestima, também estão relacionadas a sentimentos de inadequação e rejeição”, comenta o especialista, que ressalta que é sempre importante procurar ajuda de um profissional, que irá identificar o tipo de transtorno, além de orientar o tratamento mais indicado.
Carneiro também explica que existem terapias integrativas e complementares, como a hipnose, que costuma ser uma boa aliada nessa fase, dispensando o uso de medicamentos. “A hipnoterapia com um profissional bem treinado e qualificado pode auxiliar na reprogramação e ressignificação dos programas mentais”, comenta. Segundo ele, o método, que foi incorporado recentemente pelo SUS (Sistema Único de Saúde), ajuda a proporcionar uma vida com mais satisfação, além de sentimentos de adequação e de propósito.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2019 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia