Capacitação vai preparar trabalhadores para 2,4 mil vagas da Lwarcel
Articulação liderada por prefeito Prado de Lima visa garantir que geração de emprego se concentre em Lençóis e região
Capacitação vai preparar trabalhadores para 2,4 mil vagas da Lwarcel
AMPLIAÇÃO - No auge da construção da nova fábrica, Lwarcel pode empregar até 7 mil trabalhadores (Foto: Divulgação)
Prestes a iniciar as obras de seu ousado projeto de expansão, a Lwarcel Celulose, adquirida no ano passado pelo grupo asiático RGE (Royal Golden Eagle), será responsável pela geração de milhares de empregos nos próximos três anos. Para garantir que a demanda por mão de obra qualificada possa ser atendida por Lençóis Paulista e região, evitando a migração de pessoas de outras cidades e estados, um grupo liderado pelo prefeito Anderson Prado de Lima (PSB) discutiu nesta semana alguns detalhes de um programa de capacitação de trabalhadores. Segundo informações obtidas pela reportagem do Jornal O ECO, o assunto estava na pauta de uma reunião realizada na tarde da última quarta-feira (23), na Prefeitura Municipal de Lençóis Paulista.
Além de Prado de Lima, o encontro contou com a presença do presidente da Câmara Municipal, Nardeli da Silva (MDB); do vereador Manoel dos Santos Silva (PSDB); do secretário de Desenvolvimento Econômico, André Paccola Sasso; dos prefeitos de Macatuba, Marcos Olivatto (PR); de Agudos, Altair Francisco Silva (PRB); de Borebi, Antonio Carlos Vaca (PSDB); e de São Manuel, Ricardo Salaro Neto (PPS); dos vice-prefeitos de Pederneiras, José Marcio Urrea (MDB); de Areiópolis, Antonio Carlos Príncipe (PR); e de Barra Bonita, Manoel Fabiano Ferreira Filho (PROS) - que também representou Igaraçu do Tietê. A empresa foi representada por Pedro Stefanini, diretor geral; Alexandre Mello, VP Corporate Affairs; Carlos Gasparetto, gerente de Recursos Humanos; e Walter Pinto, gerente de construção civil.
Procurado pela reportagem, o prefeito Prado de Lima revelou que a articulação para garantir que a geração de empregos se concentrasse na cidade e região começou desde as primeiras reuniões com a diretoria da empresa. Segundo ele, a parceria com Macatuba - que também abrigará uma parte importante do projeto - e os demais municípios da região também visa garantir que a estrutura de serviços essenciais do município não seja comprometida com a chegada repentina de milhares de trabalhadores de fora.
“Temos que pensar em duas vias. Primeiro em garantir, através da capacitação, que nossos trabalhadores desempregados possam concorrer a essas vagas. Em segundo lugar, precisamos evitar que se crie um problema com a chegada de muitas pessoas de fora para trabalhar neste importante empreendimento. Como Lençóis Paulista e Macatuba, que estão diretamente ligadas ao projeto, não têm condições de suprir, sozinhas, a demanda, a melhor solução foi propor a parceria com as cidades vizinhas”, explica Prado de Lima.
Segundo informações da empresa, o projeto de ampliação vai empregar direta e indiretamente uma média de 3,5 mil trabalhadores, mas o número pode chegar a 7 mil no pico da obra. Além da parte de construção civil, montagens industriais e outras áreas diretamente ligadas à implantação da nova unidade, será necessária a contratação de trabalhadores das áreas de apoio, como manutenção, limpeza, cozinha, entre outras. Todas as contratações devem ser feitas por intermédio de uma Central de Serviços que está sendo montada em Lençóis Paulista, mas que terá ramificações nos outros oito municípios.
Objetivo é qualificar candidatos que concorrerão às vagas de emprego
A reportagem apurou que, durante a reunião realizada na última quarta-feira (23), a diretoria da Lwarcel Celulose apresentou aos prefeitos, além dos detalhes do projeto de expansão, um levantamento sobre a estimativa de demanda de mão de obra necessária para a implantação da nova planta. Apenas na área da construção civil, que vai concentrar os trabalhos da primeira fase do projeto, a empresa calcula que será necessária a contratação de cerca de 2,4 mil trabalhadores nas funções de pedreiro, armador de ferragens, carpinteiro de forma, bombeiro hidráulico, eletricista predial, pintor de obras e ajudante.
O programa de capacitação profissional que visa garantir que os postos de trabalho sejam preenchidos em Lençóis Paulista e demais cidades da região vai contemplar as sete funções. Os cursos, que devem ter carga horária de 100 horas, com 20 horas de aulas teóricas e 80 horas de aulas práticas (para a função de ajudante o curso só terá as 20 horas de aulas teóricas), serão ministrados, provavelmente, por meio de parceria com os Senai (Serviço Nacional da Indústria). Os locais e datas de realização, assim como os requisitos para a participação serão divulgados em breve, segundo a assessoria de imprensa.
O objetivo da capacitação é preparar os candidatos que concorrerão às vagas para a atuação no canteiro de obras. No conteúdo programático, além das habilidades específicas exigidas para cada função, serão trabalhadas questões de higiene e segurança no trabalho, educação ambiental, ética e cidadania e orientação profissional. Segundo o prefeito Prado de Lima, o treinamento é uma forma de encaminhar profissionais mais bem preparados para as funções, mas não se pode confundir os cursos com garantia de emprego.
“É importante destacar que, devido à necessidade de mão de obra qualificada, a empresa vai contratar apenas as pessoas que passarem por estes cursos, que estiverem com seus certificados em mãos. Também é preciso frisar que promoveremos a capacitação dos candidatos, mas isso não garante que todos serão contratados. Quem conduzirá este processo através da Central de Serviços será a empresa, que dentre todos os candidatos selecionará os que melhor se enquadrarem no perfil que ela busca”, complementa o prefeito.
Investimento total pode chegar a R$ 6 bilhões
Desde que o Grupo Lwart oficializou a venda da Lwarcel Celulose à RGE (Royal Golden Eagle) - a transação estimada em R$ 2 bilhões foi anunciada em maio e aprovada em junho pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) - a empresa está sob controle da Bracell Limited, subsidiária do grupo asiático que já administra a BSC (Bahia Specialty Cellulose), em Camaçari, na Bahia. É a empresa, com sede em Singapura, que tem conduzido o projeto de expansão, que, devido às pretensões dos novos investidores, passou por uma adequação nos últimos meses.
Com investimento que pode chegar a R$ 6 bilhões, o projeto vai resultar na ampliação da capacidade de produção das atuais 250 mil toneladas para 1,5 milhão de toneladas anuais de celulose. Segundo Pedro Stefanini, gerente geral da Lwarcel, a nova unidade contará com uma linha flexível para produzir tanto celulose kraft (convencional), utilizada principalmente na fabricação de papel e derivados, quanto celulose solúvel, aplicada nas indústrias têxteis, especificamente para a fabricação de viscose, que será o foco da nova planta.
Cronograma prevê início das obras para abril
A ampliação será feita em uma área de cerca de 60 hectares localizada à frente e ao lado da atual fábrica. O cronograma prevê que as obras de infraestrutura tenham início em abril e se estendam até setembro deste ano, quando deve ser iniciada a montagem da fábrica. Um dos desafios do projeto é a construção de um duto de mais de 20 quilômetros que vai captar água diretamente do Rio Tietê, na região da fazenda Pouso Alegre, em Macatuba.
A área florestal da empresa também deve receber investimento nos próximos anos, já que será necessário um volume maior de produção de eucalipto para atender à demanda de produção da nova planta. A empresa não revelou os valores gastos, mas a área de cultivo, que hoje é de 60 mil hectares, deve ser ampliada para 90 mil hectares, distribuídos em diversos municípios da região.
Quando estiver em operação - a previsão de conclusão das obras e partida da fábrica é agosto de 2021 - a nova unidade, ao longo de sua cadeia produtiva, deve gerar 360MW/hora de energia elétrica, com previsão de excedente de 150 MW/hora, que vai ser injetado na rede e disponibilizado para o mercado externo. Apenas a energia excedente, segundo dados da Aneel (Agencia Nacional de Energia Elétrica), será suficiente para abastecer uma cidade com 600 mil habitantes.
Em operação, nova unidade vai empregar 3,4 mil trabalhadores
Além das vagas geradas durante a implantação do projeto, a Lwarcel deve aumentar em quase duas vezes o número de trabalhadores a partir do início da operação da nova planta. Segundo informações obtidas pela reportagem, a empresa estima que a área industrial crie 600 novos postos de trabalho, passado de 800 para 1,4 mil funcionários. Já a área florestal, que hoje emprega 600 pessoas, deve passar a contar com 2,4 mil trabalhadores. Somadas as duas áreas, a empresa deve passar dos atuais 1,4 mil para 3,8 mil funcionários.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2019 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia