Governo libera desoneração que beneficia ampliação da Lwarcel
Autorizado pelo governador Márcio França, Regime Especial de Tributação isenta empresa do pagamento de ICMS na aquisição de
Governo libera desoneração que beneficia ampliação da Lwarcel
PASSO IMPORTANTE - Desoneração aprovada por governador Márcio França abre caminho para ampliação da Lwarcel (Foto: Divulgação)
Adquirida recentemente pelo grupo asiático RGE (Royal Golden Eagle), a Lwarcel Celulose deu mais um importante passo para o andamento do ousado projeto de expansão que deve aumentar em até seis vezes sua capacidade de produção. Autorizado na semana passada pelo governador Márcio França (PSB), um Regime Especial de Tributação permitirá uma redução considerável de custos na implantação da nova unidade, garantindo a viabilidade do projeto aos novos investidores.
O Regime Especial isenta a empresa do pagamento do ICMS (Imposto Sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação) em operações que seriam tributadas pela Secretaria da Fazenda do Governo do Estado de São Paulo, como na aquisição de equipamentos importados que derem entrada no país pelos portos de Santos e São Sebastião, bem como nas negociações feitas com fornecedores paulistas.
Na prática, a desoneração, que era pleiteada pela empresa há três anos e que foi concretizada após a intervenção do prefeito Anderson Prado de Lima (PSB) junto ao governador Márcio França, tira São Paulo de uma situação de desvantagem em relação a outros estados que já ofereciam o benefício a projetos de grande potencial de geração de emprego e renda, como no caso da ampliação da Lwarcel, que deve empregar até 5,5 mil trabalhadores, com investimento que pode superar os R$ 5 bilhões.
Resumindo, a medida garante que, diferentemente do que já ocorreu em outras ocasiões, questões burocráticas inviabilizem grandes investimentos e resultem na migração de empreendimentos que poderiam impulsionar a economia paulista para outros estados. Pedro Stefanini, gerente industrial da Lwarcel Celulose, que tem participado ativamente do projeto desde sua concepção, destaca a relevância da concessão do benefício para os planos da empresa.
“Investimentos dessa magnitude demandam o máximo de estudos e tentativas de redução de custo e o Regime Especial ajuda a viabilizar as aquisições (dos equipamentos). Como o projeto está passando por modificações, ainda não podemos falar em valores, mas, certamente, isso terá um impacto significativo. A ação do Governo de São Paulo, no sentido de acolher esse pleito, é muito importante, pois faz com que fiquemos nivelados a outros estados que concedem este benefício”, relata.
Mais do que apenas viabilizar o andamento do projeto, Stefanini ressalta os benefícios da medida para a economia da cidade e região. “Mostramos ao Governo as vantagens que o projeto trará, que são imensamente maiores do que essa desoneração pontual do ICMS. Talvez este seja o maior investimento da iniciativa privada nos últimos 20 anos no estado de São Paulo e, para a nossa sorte, isso está ocorrendo aqui, em Lençóis Paulista. É um megaprojeto, algo que vai ser muito bom para o município, para a região, para o estado de São Paulo e para o Brasil”, acrescenta.
Diante das boas perspectivas para o futuro, o prefeito Prado de Lima comemora a conquista. “Todos nós sabemos o que representa este projeto e fico muito satisfeito em saber que a concessão feita pelo governador Márcio França contribui para que ele tenha continuidade. O interior de São Paulo tem cada vez mais mostrado a importância que tem e medidas como essa, que garantem que empresas como a Lwarcel possam crescer ainda mais, só trazem benefícios para todos nós”, avalia.
Sem entrave, projeto deve sair do papel ainda neste ano
Desde a oficialização da venda pela família Trecenti, proprietária do Grupo Lwart, em uma negociação estimada em mais de R$ 2 bilhões, a Lwarcel Celulose está sob controle da Bracell Limited, subsidiária da RGE que já administra a BSC (Bahia Specialty Cellulose), em Camaçari, na Bahia. É a empresa, com sede em Singapura, que tem conduzido o projeto de expansão, que, devido às pretensões dos novos investidores, está passando por uma adequação.
Segundo informações obtidas pela reportagem do Jornal O ECO, a nova unidade, que terá capacidade de produção de até 1,5 milhão de toneladas de celulose, contará com uma linha flexível para produzir tanto celulose kraft (convencional), utilizada principalmente na fabricação de papel e derivados, quanto celulose solúvel, aplicada nas indústrias têxteis, especificamente para a fabricação de viscose, que será o foco da nova planta.
De acordo com o gerente Pedro Stefanini, a previsão é de que a adequação do projeto esteja concluída até dezembro, quando devem ser iniciadas as obras de infraestrutura primária, que contemplam a terraplanagem da área de cerca de 60 hectares localizada à frente e ao lado da atual planta, além da construção da estrutura necessária para receber os milhares de trabalhadores que atuarão na ampliação, como restaurante, vestiário, ambulatório, entre outras coisas.
Devido ao grande volume de trabalhadores que o empreendimento vai envolver nos próximos anos, cerca de 5,5 mil no auge da implantação, com média fixa de 3,5 mil, segundo Stefanini, a distribuição das pessoas que vierem de fora será feita não apenas em Lençóis Paulista, como em diversas cidades da região. O objetivo da medida é garantir que não haja impacto negativo em questões como saúde e segurança pública, por exemplo.
“Vamos priorizar a mão de obra local, até pelo fato de termos muita gente qualificada aqui, mas temos que nos preocupar em não gerar um passivo para o município, distribuindo as pessoas para que o impacto seja pequeno. De qualquer forma, os negócios paralelos vão sentir a mudança e é este o primeiro benefício que o projeto vai trazer. Todo o setor de serviços e o comércio em geral vão ser favorecidos”, explica o gerente.
 
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2018 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia