Barrado pelo TRE, Nassib vais às urnas com recurso
Julgamento será apenas após as eleições; candidato só terá votos computados se tiver decisão a seu favor
Barrado pelo TRE, Nassib vais às urnas com recurso
INCÓGNITA - Com candidatura indeferida, Nassib entrou com recurso no TRE e vai às urnas com o futuro indefinido (Foto: Elton Laud/O ECO)
Para concorrer em uma eleição, um candidato precisa atender a uma série de requisitos e, quando não cumpre algum deles, tem o pedido de registro negado. A lei, porém, permite que o partido recorra da decisão e mantenha a candidatura sub judice, permitindo que o candidato tenha o nome nas urnas, mesmo que os votos que ele eventualmente venha a receber não tenham valor algum caso o recurso seja negado após as eleições. Este é o caso de Nassib Moreira Lopes, de 49 anos, que concorre ao cargo de deputado estadual pelo PTC (Partido Trabalhista Cristão).
Natural da cidade de Porto Rico, no Paraná, mas residente há muitos anos em Lençóis Paulista, onde atua como autônomo, Nassib já havia se lançado candidato ao mesmo cargo em 2006, pelo PTN (Partido Trabalhista Nacional), mas desistiu de concorrer. Neste ano, mesmo com a candidatura barrada, ele se mantém com esperança de conseguir reverter a decisão e obter o julgamento favorável de seu recurso no TRE (Tribunal Regional Eleitoral). 
Apesar de nunca ter concorrido sequer ao cargo de vereador e não possuir vivência direta na política, o candidato destaca que atua no meio há mais de 36 anos e diz acreditar que tem condições de ser um bom deputado. Contra a experiência e o poder de articulação dos adversários, ele revela ter a vontade de trabalhar. “Temos muitos deputados que nunca trouxeram nem uma bala para Lençóis que vêm aqui pedir votos. São todos experientes, mas não fazem nada pela cidade. A experiência não conta, o que conta é a vontade de fazer. O que o povo mais precisa é de emprego e saúde de qualidade. Eu quero trabalhar para trazer isso para a cidade”, relata.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2018 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia