Luciana Médola lança livro no Espaço Cultural
Em “Um Belo dia resolvi mudar” escritora fala da liberdade de poder escolher quem se quer ser
Luciana Médola lança livro no Espaço Cultural
LANÇAMENTO - Autora recebeu amigos em noite de autógrafos no Espaço Cultural Cidade do Livro (Foto: Flávia Placideli/O ECO)
Na noite da última quinta-feira (13), o Espaço Cultural Cidade do Livro, em Lençóis Paulista, recebeu o lançamento do livro “Um Belo dia resolvi mudar”, de Luciana Médola, lençoense de coração. O evento foi prestigiado por amigos e conhecidos da autora em uma noite dedicada à literatura, à música e ao amor pela vida.
“Um Belo dia resolvi mudar” fala de recomeços, significados, sobre lutar pelo verdadeiro eu, coragem, força, aceitação e a liberdade para ser o que realmente se quer ser. A autora Luciana Médola, de 39 anos, assistente social, diz que sempre gostou de ler e que a inspiração para o livro surgiu a partir do momento em que se viu em uma ‘crise existencial’ e, então, começou a colocar no papel tudo o que sentia e pensava. Foi quando decidiu finalmente que iria escrever um livro. 
“Quando decidi escrever um livro, ele na verdade já estava praticamente pronto, porque sempre tive o hábito de escrever tudo que passava pela minha cabeça. Então, este livro demorou praticamente um mês para ficar pronto. Depois disso, tem sempre a parte da impressão, os retoques finais para que ele se tornasse real”, explica a autora.
Um dos pontos tratados no livro são as mulheres que se tornam ao longo da vida ‘Amélias’, se cobrando desde cedo para serem boas mães, boas esposas e boas donas de casa. “Crescemos sonhando com essa vida ‘perfeitinha’, com direito a suspiros de amor e finais felizes, e para esse sonho se tornar realidade temos que nos tornar as melhores em tudo, senão não seremos dignas de vivermos tal história. Nos importamos, sim, com a opinião dos outros e, por conta disso, muitas vezes passamos a usar diversas máscaras para esconder as nossas dores e insatisfações”, explica a autora.
Em seu livro, a escritora quer falar às outras mulheres que é possível recomeçar, mas que antes disso é preciso se encontrar, aceitar quem realmente se é e ir em busca da liberdade para viver o que se deseja. Entretanto, mesmo abordando a história de uma mulher, a escritora conta que o livro não foi escrito somente para elas, mas para todos os que sonham com a liberdade interior, com a plenitude na alma, para todos os que não conseguem aceitar a ideia de apenas sobreviver. “Este livro foi escrito para todos aqueles que têm fome de vida, que têm fome de ‘ser’ e para os que não se contentam com menos que a felicidade plena”, finaliza Luciana Médola. 
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2018 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia