Paixão incondicional pela dança
Wesler Tiburtino dança desde os cinco anos de idade e hoje participa de grandes eventos regionais
Paixão incondicional pela dança
RAZÃO DE VIVER - Lençoense dança há mais de 14 anos e hoje dá aulas em duas academias de Lençóis Paulista (Foto: Arquivo Pessoal)
Com a dança ‘correndo nas veias’ desde a infância, Wesler Tiburtino Vicente, de 19 anos, descobriu na arte de se expressar através dos movimentos não apenas uma profissão, mas como, ele próprio diz, uma razão de viver. O talento aflorado aos cinco anos, quando ele já arriscava os primeiros passos como bailarino, o levou a frequentar as aulas de ballet da Casa da Cultura de Lençóis Paulista, onde revela que a dança o ‘abraçou para nunca mais soltar’.
“Ser bailarino não se tratou de uma decisão que eu precisava tomar. Não escolhi ser bailarino, acho que quem escolhe a gente é a dança. Para mim, a felicidade e o sentido de viver estão totalmente atrelados ao exercício contínuo de dançar, seja exercendo as atividades como bailarino, coreógrafo, ou professor”, explica o jovem dançarino lençoense.
Ele conta que sentiu confiança para seguir com a arte quando foi selecionado em um concurso de dança, em Bauru, quando tinha 14 anos. De lá para cá, começou a se aprofundar nas técnicas e a investir em cursos e workshops. Aos 16 anos, criou o Grupo Soul, um projeto com alguns dançarinos da cidade, no qual dava aulas para as pessoas de bairros carentes da cidade, em um espaço localizado na Cecap.
O amor pela profissão, o talento e a confiança nutrem o sonho que o jovem tem de seguir neste caminho, mesmo que, às vezes, a alegria de dança cruze com o preconceito. “Acredito que tudo na vida da gente é superação e posso dizer que sempre tive o apoio da minha família, em especial, de minha mãe, Luciana. Isso para mim é o essencial, pois sem ela e seu apoio eu não estaria onde estou hoje”, ressalta o bailarino, que também é bastante incentivado pelos amigos e colegas da profissão.
Como dançarino, o jovem já se apresentou com artistas conhecidos, como o grupo Os Cretinos, o DJ Elieser Ambrósio (ex-BBB), o cantor Bruno Araújo e a cantora Glória Groove. Para ele, todos as experiências foram de total importância para sua carreira. O último evento que teve a participação do bailarino foi o Encontro da Diversidade, que no último domingo (26), no Parque Vitória Régia, em Bauru, reuniu mais de 40 mil pessoas.
Além de alimentar suas redes sociais diariamente com diversos vídeos (um com mais de 51 mil visualizações), Wesler tem uma rotina bastante cheia, dividindo-se entre as apresentações em eventos e festas de Lençóis Paulista e região e as atividades como professor de dança em duas academias da cidade, de segunda a sábado. Mesmo com toda a correria, ele diz que nem pensa em deixar de fazer o que ama.
 “Apesar de todo o trabalho e da rotina intensa, dançar para mim é algo que transcende todo e qualquer esforço físico. Isso não tem só a ver com a dança. Acredito que todas as pessoas que fazem o que gostam, naturalmente, se dedicam e se sentem vitoriosas ao final de cada expediente ou, no meu caso, ao final de cada coreografia. Tem que fazer as coisas com amor, esse é o grande segredo do sucesso e da felicidade”, finaliza o dançarino.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2018 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia