Publicidade
Publicidade
Publicidade
Lençóis notifica primeiro caso suspeito de influenza
Vacinação está prorrogada até a sexta-feira (22)
Lençóis notifica primeiro caso suspeito de influenza
CAMPANHA - Prorrogação do prazo de vacinação termina nesta sexta-feira (22) em todo o país (Foto: Divulgação)
A Secretaria de Saúde de Lençóis Paulista registrou o primeiro caso suspeito de Influenza neste ano. A notificação foi feita pela UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Um homem de 30 anos, comerciante, apresentou febre, tosse, desconforto respiratório, dispneia e baixo nível de oxigenação, necessitando de suporte de oxigênio. Iniciado o tratamento ele apresentou melhora do quadro. O paciente recebeu alta para continuar com a medicação em casa, mas ainda aguarda os resultados dos exames.
A influenza (gripe) é uma infecção viral aguda, que afeta o sistema respiratório. Os vírus influenza são transmitidos facilmente por pessoas infectadas ao tossir ou espirrar. Existem três tipos de vírus influenza: A, B e C. O tipo C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionada com epidemias.
O vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias. Ela começa com febre alta, seguida de dor muscular, dor de garganta, coriza, tosse seca, calafrio e prostração. Outros sintomas em casos mais graves são: desconforto respiratório, desidratação e pneumonia.
VACINAÇÃO PRORROGADA
Buscando atingir a meta em todo território nacional, que é de vacinar em torno de 54 milhões de pessoas, o Ministério da Saúde prorrogou mais uma vez a vacinação contra a gripe. O novo prazo para vacinação é 22 de junho. A preocupação das autoridades da saúde é com o período de inverno, quando ocorre a maior incidência de circulação do vírus. O prazo anterior era 15 de junho.
Em Lençóis Paulista, apenas 56,3% do público-alvo da campanha tomou a vacina neste ano. A situação mais preocupante, segundo o secretário de Saúde Ricardo Conti, está no grupo das crianças entre seis meses e cinco anos. “Nesse grupo, composto por aproximadamente 3.605 crianças, apenas 1.168 foram imunizadas contra Influenza, ou seja, um percentual de apenas 32,4%. Estamos aguardando o resultado do exame desse caso suspeito, mas pedimos que todos que têm direito procurem as unidades de saúde para receber a vacina”, declarou Conti.
O Ministério da Saúde reforça a importância dos estados e municípios continuarem a vacinar os grupos prioritários, em especial as crianças, gestantes, idosos e pessoas com comorbidades, público com maior risco de complicações para a doença. Por isso, se após o fim da campanha ainda houver disponibilidade de vacinas nos estados e municípios, a vacinação poderá ser ampliada para crianças de cinco a nove anos de idade e adultos de 50 a 59 anos.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2018 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia