Publicidade
Publicidade
Publicidade
O amor pela profissão traduzido em versos e rimas
Apaixonada pela literatura de cordel, professora desenvolve projeto com alunos de Macatuba
O amor pela profissão traduzido em versos e rimas
VOCAÇÃO - Apaixonada pela profissão, professora Josiane incentiva o hábito da leitura entre os alunos (Foto: Divulgação)
Nesta semana, a Escola Municipal CAIC Cristo Rei, de Macatuba, mergulhou no universo encantador dos versos e das rimas. Na última terça-feira (12), véspera do aniversário de 118 anos da cidade, diversas turmas da escola acompanharam durante os intervalos das aulas as apresentações dos alunos do 5º ano do ensino fundamental, que desenvolveram um projeto sobre literatura de cordel, uma das vertentes literárias mais enraizadas na cultura popular brasileira.
A iniciativa partiu da professora Josiane Baum, que mora em Lençóis Paulista, mas leciona há 10 anos na cidade vizinha, desde que se formou na faculdade. O projeto, que foi concebido durante as aulas de língua portuguesa, com algumas atividades realizadas nas aulas de informática, surgiu do desejo de abordar de forma mais ampla o estilo literário, que consta no conteúdo programático da disciplina, mas geralmente é abordado de forma bastante superficial.
A receptividade da turma foi tanta, que o resultado não poderia ter sido diferente. “Sempre fui uma pessoa apaixonada pelos versos, pelas rimas e pela musicalidade de modo geral e acho que acabei transmitindo essa paixão aos meus alunos, que também acabaram se encantando muito com a literatura de cordel. Por este motivo, surgiu a ideia de produzir, de fazer algo diferente para depois poder expor para os outros alunos da escola”, explica.
Segundo a educadora, foram várias semanas de atividades desde as primeiras leituras em sala de aula até as apresentações nas sessões batizadas de Intervalos Culturais, mas a dedicação e a empolgação dos mais de 20 alunos que participaram do projeto resultaram em belas criações. “Foi um mês e meio de trabalho para que a gente chegasse no resultado final, mas foi tudo muito produtivo. É uma excelente turma, com ótimos alunos. Fiquei encantada com o resultado. Todos merecem aplausos”, ressalta a professora.
Além das rodas de leitura de cordel, implantadas pela professora a partir da doação de livros à escola pela fundação DPaschoal, os alunos, com idade entre 10 e 11 anos, produziram os seus próprios livretos de cordel, alguns com histórias autorais, outros reproduzindo textos de outros cordéis conhecidos. Uma das atividades que mais empolgaram os alunos foi a confecção das xilogravuras (uma espécie de carimbo, habitualmente confeccionado em madeira para ilustrar os livretos de cordel - que ilustraram os trabalhos, produzidas a partir dos moldes feitos por eles próprios com placas espessas de EVA.
A satisfação foi tão grande, que mal encerrou o projeto, a professora já começa a pensar no próximo. “Foi muito gratificante ver eles (os alunos) participando de todo processo, depois fazendo a leitura para os colegas das outras salas e para os alunos menores, desde o maternal. Agora os outros alunos também querem chegar no 5º ano para produzir também. Isso é muito legal. Fico muito animada para produzir coisas novas, porque tenho verdadeiramente paixão pelo meu trabalho”, finaliza a professora.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2018 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia