Publicidade
Publicidade
Publicidade
Zilor adere ao Protocolo Agroambiental Etanol Mais Verde
Empresa assume compromisso voluntário para a produção mais sustentável na cadeia produtiva da cana-de-açúcar
Zilor adere ao Protocolo Agroambiental Etanol Mais Verde
MAIS VERDE - Área de Mata Nativa preservada pela Zilor próxima à usina Barra Grande, em Lençóis Paulista (Foto: Divulgação)
A Zilor firmou no último dia 27 de abril o compromisso de Adesão ao Protocolo Agroambiental Etanol Mais Verde para as unidades Barra Grande, São José e Quatá. A adesão ao Protocolo é mais um passo dado pela empresa rumo ao crescimento sustentável.
O movimento, pioneiro no Brasil, é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo, representado pela Secretaria do Meio Ambiente, Secretaria da Agricultura e Abastecimento, Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), e pelo setor sucroenergético, representado pela União da Agroindústria Canavieira do Estado de São Paulo (Única) e pela Organização de Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil (Orplana). 
A ação busca consolidar o desenvolvimento sustentável da cadeia produtiva de etanol, açúcar e bioenergia e superar os desafios advindos da mecanização da colheita de cana-de-açúcar. Esta nova fase do Protocolo Agroambiental Etanol Mais Verde é baseado em três pilares: geração de água, biodiversidade e cobertura vegetal, para que o etanol possa ser o grande combustível das mudanças climáticas.
Nesse sentido, dez novas diretivas técnicas serão desenvolvidas pelas usinas e fornecedores de cana signatários do novo Protocolo, como: Eliminação da Queima, Adequação à Lei Federal nº 12.651/2012, Proteção e Restauração das Áreas Ciliares, Conservação do Solo, Conservação e Reuso da Água, Aproveitamento dos Subprodutos da Cana-de-Açúcar, Responsabilidade Socioambiental e Certificações, Boas Práticas no Uso de Agrotóxicos, Medidas de Proteção à Fauna e Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais.
A Zilor participa do Protocolo desde o ano de 2007, quando o objetivo principal visava a redução do prazo para eliminação do uso do fogo na colheita da cana-de-açúcar de 2021 para 2014 nas áreas mecanizáveis e de 2031 para 2017 nas áreas não mecanizáveis. Em 10 anos de programa tivemos a comprovação e o bom resultado da parceria entre o setor privado e o governo em prol da sociedade e do meio ambiente. 
“Estamos juntos nessa caminhada para o desenvolvimento sustentável. A unidade de Quatá foi a primeira empresa do Estado de São Paulo a aderir ao Protocolo. Nas áreas de cultivo da Zilor, a colheita mecanizada crua, sem emprego do fogo atingiu índices de 100% desde 2011, antecipando em 6 anos o prazo proposto. Ainda contamos com grandes investimentos para a proteção e restauração das matas ciliares e áreas de fragmentos florestais, localizados na Bacia do Rio Lençóis, em Lençóis Paulista e na Bacia do Rio do Peixe, localizada em Quatá”, destaca a diretora de Gestão de Pessoas e Socioambiental da Zilor, Maria Elvira Sogayar Scapol.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2018 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia