Publicidade
Publicidade
Publicidade
Festa da literatura
Após nove edições, Festival do Livro passa a se chamar de Festival Integrado da Literatura de Lençóis
Festa da literatura
FESTIVAL INTEGRADO - Segundo Marcelo Maganha, objetivo é tornar o FILLP um dos maiores festivais do país (Foto: Divulgação)
Criado com a proposta de desenvolver ações voltadas à cultura e ao fortalecimento da identidade de Lençóis Paulista, conhecida como a “Cidade do Livro”, o Festival do Livro, surgiu a partir de uma iniciativa conjunta das diretorias de Cultura, Educação e Recursos Humanos da Prefeitura Municipal. Realizado ininterruptamente desde 2009, a partir da primeira gestão da ex-prefeita Bel Lorenzetti, o festival chega neste ano a sua décima edição, cada vez mais consolidado.
O evento, que normalmente acontece entre os meses de outubro e novembro, tornou-se referência na cidade por promover a popularização e a valorização da cultura, seja pela participação de escritores locais e regionais ou pelo foco no público infantojuvenil e no incentivo à leitura.
“Desenvolvemos um formato que contemplava a realização de diversas atividades e apresentações literárias, como peças teatrais, contação de histórias, espetáculos de dança, entre outras coisas, para que pudéssemos ter a participação das escolas públicas e particulares, de alunos e professores, mas que também atraísse o público em geral. Isso deu muito certo”, comenta Nilceu Bernardo, ex-diretor de Cultura e um dos idealizadores do Festival.
Mesmo seguindo a proposta inicial, muitas coisas mudaram ao logo das nove edições já realizadas e o Festival ganhou cada vez mais ‘corpo’, sempre com novas atrações e atividades. No ano passado o evento, que era realizado na Praça Comendador José Zillo (Concha Acústica), no Centro, foi transferido para o Teatro Municipal Adélia Lorenzetti, onde ganhou uma nova estrutura, proporcionando aos mais de 20 mil visitantes que passara pelo local durante mais de uma semana de programação maior comodidade, segurança e conforto. 
A experiência foi avaliada como positiva pela organização, mas o objetivo, segundo o Secretário de Cultura, Marcelo Maganha, é deixar o evento ainda maior, tornando-o referência em todo o estado de São Paulo. Por isso, a partir deste ano o Festival do Livro passará a se chamar Festival Integrado de Literatura de Lençóis Paulista (FILLP), abrindo as portas da cidade, prestes a ser oficializada como a Capital Nacional do Livro, para pessoas de diversas regiões.
“Quando temos um evento como o FILLP, que traz atrações nacionais e que gera, de maneira natural, um debate intenso sobre literatura, vemos a cidade se movimentar artisticamente. A popularidade do evento nos mostra que há o interesse por parte de um grande público. A popularização de eventos e festivais literários que começa a ocorrer revela justamente que existe, sim, muita gente que não necessariamente vai até lá pelo puro interesse literário, mas seduzido pelo evento ou com a vontade de incluir seus filhos no mundo da leitura. O que acontece, portanto, é que, no final, todos saem de lá respirando literatura, com um carinho renovado pelo hábito de ler”, explica Maganha, que pretende tornar o FILLP um dos maiores festivais do país.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2018 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia