Publicidade
Publicidade
Publicidade
Após desabamento, técnicos visitam escola em Agudos
Acidente feriu 19 pessoas na quarta-feira (19), sendo a maioria crianças
Após desabamento, técnicos visitam escola em Agudos
CAUSAS - Técnicos no local do desabamento disseram que laudo exige paciência e detalhamento (Foto: Divulgação)
Dois técnicos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), da Defesa Civil de São Paulo, estiveram em Agudos, na última quinta-feira (19), um dia após o desabamento do teto do refeitório da Creche Berçário Professora Diomira Paschoal, para realizar vistoria e avaliação técnica que irá colaborar para a averiguação das causas do acidente. Na manhã da quarta-feira (18), por volta das 8h, o teto da escola desabou deixando 19 pessoas feridas, sendo 15 crianças.
De acordo com os profissionais do IPT, para chegar a uma conclusão, serão colhidas evidências no local, como pedaços de madeiras, destroços de telhas e tijolos, para uma avaliação pontual, a partir de modulações e remontagem das estruturas e que será um trabalho que exige detalhamento e paciência, pois as causas do acidente podem estar num conjunto de fatores ou num fator apenas. Além do trabalho do IPT, o caso está sendo investigado pela Polícia Civil que também enviou peritos ao local.
Na quarta-feira, em nota, o engenheiro da Prefeitura de Agudos, Agostinho de Barros Tendolo, havia explicado que o desabamento ocorreu devido as infiltrações de água de chuva que comprometeram o madeiramento, o que provocou o rompimento de uma “tesoura de madeira” que, ao entrar em colapso, rompeu todo o telhado do refeitório. O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil devem emitir um laudo até o final do dia.
O ACIDENTE
O teto da escola municipal infantil Diomira Napoleone Paschoal, em Agudos, que atende crianças de seis meses a três anos de idade, desabou na manhã da última quarta-feira (18) e feriu, segundo o Corpo de Bombeiros, 19 pessoas, sendo 15 crianças, que sofreram ferimentos leves.
As vítimas foram socorridas e encaminhadas à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e também para uma Unidade Básica de Saúde (UBS) da cidade, a maioria com escoriações leves, sem maior gravidade. O socorro envolveu, além dos Bombeiros e da equipe do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), a Polícia Militar, Defesa Civil, funcionários da Prefeitura Municipal de Agudos, além de voluntários que estiveram no local.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2018 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia