Publicidade
Publicidade
Publicidade
Quatro empresas estrangeiras disputam compra da Lwarcel
Grupo Lwart busca viabilizar projeto de expansão e está em negociação avançada com alguns investidores
Quatro empresas estrangeiras disputam compra da Lwarcel
CRESCIMENTO - Projeto de expansão pode aumentar em cinco vezes capacidade de produção da Lwarcel (Foto: Divulgação)
Uma matéria publicada nesta terça-feira (3) pelo jornal Estado de São Paulo voltou a colocar no centro das atenções as negociações envolvendo a possível compra da empresa lençoense Lwarcel Celulose por investidores internacionais. Segundo o jornal, após anunciar a fusão com a Fibria, a Suzano abandonou as negociações com a empresa lençoense, abrindo caminho para outras gigantes do mercado da celulose mundial.
A Suzano Papel e Celulose era tida como a favorita entre todas as interessadas no negócio, porém, no mês passado, a empresa anunciou a fusão com a Fibria, que criou a maior companhia de celulose do mundo, com capacidade de produção de quase 11 milhões de toneladas por ano - a transação ainda depende da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).
Ainda segundo o Estadão, após a ‘desistência’ da família Feffer, proprietária da Suzano, pelo menos quatro empresas estrangeiras estariam em negociação com a família Trecenti, proprietária do Grupo Lwart, que detém o controle da Lwarcel: a chilena Arauco, a portuguesa Altri, a asiática April e a espanhola Ence. O valor negociado, de acordo com a publicação, pode chegar a R$ 1,8 bilhão.
Procurado pela reportagem do Jornal O ECO, o Grupo Lwart afirmou, por meio de nota emitida por sua assessoria de imprensa, que a empresa “[...] segue com foco em viabilizar seu projeto de expansão, que foi revisto e contempla atingir uma capacidade de produção total de até 1,5 milhão de toneladas anuais, com investimento de cerca de R$ 5 bilhões”.
O comunicado não revela quantos nem quais investidores estariam interessados na empresa lençoense e nem se a família Trecenti estaria disposta a abrir mão do controle acionário para colocar em prática o ousado plano de expansão, mas afirma que a empresa busca um sócio e “[...} está em processo avançado de negociações com potenciais interessados, tanto nacionais como estrangeiros”.
O Grupo Lwart também não sugere uma data específica para a definição do futuro da Lwarcel - o Estadão afirma que as negociações devem ser concluídas ainda no primeiro semestre -, mas garante que tudo deve “[...] ocorrer em curto prazo” pois a iniciativa “[...] visa inserir o projeto na janela de oportunidade do mercado de celulose, que se refere à ausência de novos projetos nos próximos dois anos”.
Fundada em 1986 a Lwarcel Celulose tem capacidade de produção de cerca de 250 mil toneladas por ano e pretende aumentar em cinco vezes a produção com o projeto de expansão. A empresa pertence ao Grupo Lwart, que possui mais de 2,1 mil colaboradores, com faturamento médio anual de mais de R$ 800 milhões, segundo dados de 2016.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2018 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia