Autor do primeiro homicídio do ano ainda não foi identificado
Crime foi registrado na madrugada do último domingo (11), no Jardim Primavera
Autor do primeiro homicídio do ano ainda não foi identificado
CRIME - Polícia Civil busca autor de homicídio ocorrido no último domingo (11) (Foto: Arquivo/O ECO)
A Polícia Civil de Lençóis Paulista ainda não tem informações relevantes que possam ajudar a identificar o autor do primeiro homicídio do ano ocorrido na cidade. O crime, que aconteceu na madrugada do último domingo (11), no Jardim Primavera, vitimou Vanderlei Donizeti da Silva, de 47 anos, que foi encontrado em sua casa, na manhã do mesmo dia, com uma perfuração profunda no pescoço.
De acordo com informações obtidas pela reportagem do Jornal O ECO, a vítima, que residia em um quarto nos fundos da casa de parentes, na Rua David Batistella, foi localizada por um sobrinho, por volta das 8h30, deitado em sua cama.
Os familiares chegaram a acionar o socorro pelo 192, porém, quando a equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) chegou ao local constatou que a vítima já estava sem vida, com uma perfuração profunda no pescoço, por onde havia perdido muito sangue.
O corpo de Silva, que tinha completado 47 anos no último dia 9 de fevereiro, foi sepultado na manhã da última segunda-feira (12) no Cemitério Municipal Alcides Francisco.
NINGUÉM OUVIU NADA
Segundo o 1º tenente Rodrigo José Franco, comandante do efetivo da 5ª Cia de Polícia Militar de Lençóis Paulista, que acompanhou a ocorrência, não se sabe ao certo quando o crime foi cometido, já que nenhuma das pessoas ouvidas nas imediações percebeu qualquer movimentação.
“Quando fomos acionados e fizemos o primeiro atendimento, o indivíduo já estava em óbito. Alguns familiares estavam na casa da frente, mas ninguém ouviu nada durante a madrugada”, comenta Franco, que relata ainda que a cena do crime sugere que Silva possa ter sido atacado no lado de fora da casa.
“Encontramos alguns sinais de sangue e a própria faca utilizada no crime no quintal, o que indica que a vítima pode ter sido arrastada para a cama, mas não há como afirmar nada. São apenas indícios que cabem agora à Polícia Civil investigar”, completa.
INQUÉRITO
A Polícia Científica esteve na cena do crime e colheu as provas para a realização dos exames periciais, inclusive a faca utilizada no crime. Os laudos devem demorar até 30 dias para serem apresentados à Polícia Civil, que instaurou um inquérito para investigar o caso.
De acordo com o investigador José Augusto Oller, diante da cena do crime, a Polícia Civil trabalha exclusivamente com a hipótese de homicídio, mas ainda não há informações relevantes que indiquem a identidade de nenhum suspeito.
O delegado, Marcos Jefferson da Silva, titular da Delegacia de Polícia de Lençóis Paulista e responsável pelas investigações, revelou que a Polícia Civil segue empenhada em solucionar o caso, mas que nada além do que o que já havia sido divulgado poderia ser informado.
Até o fechamento desta reportagem nenhum suspeito havia sido identificado.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2018 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia