Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mulheres são o alvo da campanha do Dia Mundial do Diabetes
Doença atinge cerca de 200 milhões de pessoas do sexo feminino em todo o mundo
Mulheres são o alvo da campanha do Dia Mundial do Diabetes
DIABETES - Cerca de 200 milhões de mulheres vivem com a doença em todo mundo (Foto: Divulgação)
Ontem (14) foi o Dia Mundial do Diabetes, data criada em 1991 pela International Diabete Federation (IDF) em conjunto com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em decorrência da preocupação com o crescente número de diagnósticos no mundo. A campanha deste ano, que acontece em mais de 160 países, tem como alvo as mulheres, com o tema “Mulheres e Diabetes: nosso direito a um futuro saudável”.
Estima-se que atualmente há cerca de 200 milhões de mulheres que vivem com diabetes em todo mundo e estes números estão em frequente crescimento. Segundo especialistas, a tripla jornada exercida pelas mulheres (casa, filhos e trabalho), associada às desigualdades socioeconômicas, as expõem aos principais fatores de risco de diabetes, incluindo dieta e nutrição precárias e inatividade física.
O excesso de peso e o sedentarismo são apontados como as principais causas do diabetes tipo 2, que atinge 90% das pessoas com problemas em metabolizar a glicose. O endocrinologista João Eduardo Salles desfaz o mito de que só os doces contribuem para o diabetes. “Não é o fato de comer doce que leva ao diabetes, e sim o fato de engordar e ser sedentário, independentemente de comer doce. Se está engordando o risco de diabetes é maior”, ressalta o médico, que acrescenta que com a idade o risco aumenta.
O É DIABETES?
Diabetes Mellitus (DM) é uma doença crônica, caracterizada pela elevação da glicose no sangue (hiperglicemia). Pode ocorrer por defeitos na secreção da insulina, na ação da insulina ou em ambas.
Insulina é um hormônio produzido no pâncreas e a sua principal função é permitir o aproveitamento da glicose (açúcar) contida nos alimentos para que ela possa ser transportada para dentro das células, sendo transformada em energia. A falta ou defeito na ação da insulina pode causar a hiperglicemia, que é o acúmulo de glicose no sangue.
PORQUE TRATAR HIPERGLICEMIA?
Hiperglicemia é a elevação das taxas de glicose (açúcar) no sangue e ela deve ser controlada, pois, quando elevada cronicamente, pode prejudicar o funcionamento de vários órgãos como os rins, os olhos, os nervos e o coração. Os indivíduos que conseguem manter um bom controle da glicemia têm uma importante redução no risco de desenvolver tais complicações.
PRINCIPAIS TIPOS DE DIABETES
Diabetes Tipo 1 (DM 1): É caracterizado pela destruição das células beta pancreáticas, que levam a deficiência de insulina e isso pode ser por um processo autoimune ou causa idiopática. Em geral costuma acometer crianças e adultos jovens, mas pode ser desencadeado em qualquer faixa etária. Atinge de 5 a 10 % das pessoas com diabetes.
Diabetes Tipo 2 (DM 2): É caracterizado por uma deficiência na ação e secreção da insulina, acarretando uma dificuldade de controlar a glicose no sangue. É causado por uma interação de fatores genéticos e ambientais e pode ocorrer em qualquer idade, mas geralmente após os 40 anos, atingindo de 90 a 95% das pessoas com diabetes.
Diabetes Gestacional: Existe também o diabetes gestacional que ocorre durante a gestação e pode ou não ser transitório. Após o parto as taxas de glicose no sangue voltam ao normal, mas é necessário manter cuidados, uma vez que há maior risco de diagnóstico de DM 2 futuramente.
ORIENTAÇÕES PARA UMA ALIMENTAÇÃO ADEQUADA
Evitar o excesso de peso;
Ingerir alimentos em quantidade e qualidade adequados;
Utilizar carboidratos ricos em fibras e que forneçam energia lentamente como raízes e cereais integrais em pequenas quantidades;
Priorizar os vegetais (verduras e legumes) nas principais refeições;
Incluir oleaginosas por serem ricas em fibras e antioxidantes;
Incluir frutas in natura no dia a dia, de forma moderada;
Utilizar alimentos com potencial anti-inflamatório (temperos naturais e ervas como, por exemplo, a canela, que contém compostos fenólicos que auxiliam no combate ao diabetes);
Incluir gengibre, abacate e frutas vermelhas com poder antioxidante e anti-inflamatório;
Retire alimentos inadequados (pães brancos, doces em geral, frituras, açúcar e farinhas refinadas, alimentos ultra processados, refrigerantes e bebidas alcoólicas).
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia