Publicidade
Publicidade
Publicidade
Hospital Piedade usa tecnologia inovadora em cirurgia de joelho
Procedimento diminui atrito entre implante e osso e tem recuperação mais rápida
Hospital Piedade usa tecnologia inovadora em cirurgia de joelho
NA TELA - Cirurgia é monitorada por um escâner que mapeia a perna do paciente (Foto: Divulgação)
A cirurgia de prótese de joelho ou artroplastia total de joelho (ATJ) é um dos procedimentos mais indicados e confiáveis quando os demais recursos não cirúrgicos não apresentam resultado no alívio da dor ou restauro da função em pacientes com artrites inflamatórias, desgaste das articulações e osteoartrose.
O implante, apesar de ser mais indicado a pacientes a partir dos 60 anos, devido a durabilidade dos implantes que em geral alcançam de 15 a 30 anos, também é usado em pessoas mais jovens com deformidades graves, queixas de falseio e dor incapacitante.
A CIRURGIA TRADICIONAL
A artroplastia total do joelho (ATJ) consiste em substituir as articulações do joelho por meio de implantes artificiais metálicos e em polietileno (as chamadas próteses). O material é fixado aos ossos do fêmur e da tíbia através do cimento cirúrgico. Essa fixação rígida é a responsável por um maior atrito e desgaste do material, contribuindo em alguns casos para a soltura do implante.
Para tentar minimizar esse atrito criou-se uma plataforma rotatória assim como a substituição da fixação cimentada pela artroplastia sem cimento.
A NOVA TÉCNICA
Em busca de aprimoramento profissional e de proporcionar maior qualidade de vida aos pacientes, os ortopedistas especialistas em cirurgia de joelho Bruno de Faria Batista, de Lençóis Paulista, e Rodrigo Vanni, de Botucatu, trouxeram esta nova técnica para o Hospital Nossa Senhora da Piedade (HNSP).
A ATJ sem cimento, idealizada inicialmente para pacientes jovens, traz a esperança de diminuir a perda óssea durante as revisões futuras ao implante, assim como apresenta menor tempo cirúrgico e menor risco de complicações sistêmicas da cimentação. 
Esses resultados são obtidos graças a implantes com superfícies rugosas revestidas com titânio e hidroxiapatita. A substância, que evita o cimento ósseo, estimula o crescimento ósseo e a osteointegração do implante, aumentando a longevidade da cirurgia.
Para aplicar a técnica, os médicos se especializaram no Centre Orthopédique de dracy-le-fort, na França. Referência neste tipo de cirurgia. O implante utilizado nesta técnica é conhecido como SCORE. 
TECNOLOGIA A FAVOR DA MEDICINA
Para garantir a precisão na artroplastia total do joelho, toda cirurgia é monitorada por um escâner que mapeia a perna do paciente e toda a área a ser trabalhada, orientando os cirurgiões com informações sobre ângulo de fixação, área de corte, entre outros parâmetros.
Outra vantagem no procedimento é que devido a evolução da técnica o paciente pode ter os dois joelhos operados no mesmo dia e dar início ao trabalho de reabilitação fisioterápica no dia seguinte a cirurgia.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia