Publicidade
Publicidade
Publicidade
Um pedacinho do Piauí nos gramados lençoenses
Esperantina Futebol Clube é formado apenas por jogadores vindos da cidade nordestina
Um pedacinho do Piauí nos gramados lençoenses
ESPERANTINA FUTEBOL CLUBE - Grupo de amigos criaram uma equipe de futsal para disputar os campeonatos (Foto: Divulgação)
A paixão pelo futebol e a saudade da Terra Natal fizeram um grupo de amigos residentes em Lençóis Paulista criar uma equipe para disputar os campeonatos amadores da cidade. O nome escolhido tem tudo a ver com as raízes dos atletas:  Esperantina Futebol Clube. Fundado há menos de dois meses, o time conta com 25 pessoas, entre jogadores e comissão técnica, todos eles nascidos ou criados na cidade de Esperantina, no Piauí.
A equipe que tem o apoio do vereador Manezinho foi montada oficialmente no dia 27 de agosto, mas a ideia já vinha amadurecendo há algum tempo. Segundo o técnico, Ildevam de Carvalho, de 33 anos, vários dos atuais jogadores já haviam manifestado o interesse em formar um time apenas com atletas vindos da pacata cidade de pouco mais de 37 mil habitantes, localizada no norte piauiense, há cerca de 190 quilômetros da capital, Teresina.
“O pessoal gosta muito de futebol e sempre se reunia para assistir alguns jogos na televisão. Alguns também acompanhavam os campeonatos da cidade, mas ninguém nunca tinha jogado em nenhum time daqui. Em vários encontros que fizemos acabava surgindo essa conversa, de montar uma equipe só com esperantinense. Acabou que deu certo neste ano”, explica Devan, como é conhecido pelos amigos.
A maioria dos integrantes do Esperantina deixou a cidade piauiense com os mesmos objetivos que muitos dos nordestinos radicados em Lençóis Paulista. As dificuldades enfrentadas no sertão nordestino e a expectativa de melhorar de vida em São Paulo acabou trazendo todos para a cidade. Alguns chegaram há dois anos, outros há 10, mas a maioria se mudou para cá há cerca de cinco anos.
Hoje, em meio à rotina corrida - mas alegre - do trabalho, eles costumam sempre se encontrar para jogar conversa fora e matar a saudade da cidade de origem. As reuniões, conta Devan, acontecem sempre em seu bar, localizado na Rua Bartolomeu Bueno da Silva, na Vila Mamedina, local escolhido pelo grupo para comer uns petiscos, tomar aquela cervejinha bem gelada e, claro, falar de futebol. O local, inclusive, acabou se tornando o ‘quartel general’ da equipe e é para lá que todos acabam indo depois das partidas.
EQUIPE EM CAMPO
O Esperantina Futebol Clube é um dos 16 times que disputam atualmente a 8ª edição da Copa Cidade do Livro de Futebol Amador, competição organizada pela Liga Lençoense de Futebol Amador (LLFA) com apoio da Diretoria de Esportes e Recreação de Lençóis Paulista.
A estreia oficial do time ocorreu no dia 1º deste mês, e logo com uma vitória de 2 a 1 sobre o Vila Nova, com gols de Ezequias Duete e João Marcos da Silva. No segundo jogo, disputado no último domingo (15), a equipe não teve o mesmo desempenho e acabou derrotada por 1 a 0 pelo São Cristóvão, mas segue viva na briga pela classificação.
O futuro do Esperantina neste ano será definido na rodada prevista para o dia 29 deste mês. O adversário no último jogo da primeira fase, marcado para as 10h30, no Estádio Distrital Eugênio Paccola, na Cecap, será o também estreante, Monte Azul, que perdeu seus dois jogos e tem chances remotas de classificação.
PLANOS PARA 2018
O técnico Devan revela que, independentemente do desempenho na Copa Cidade do Livro, o objetivo da equipe é manter a base e treinar bastante para as competições do próximo ano. Além da Copa Lençóis, que é disputada sempre no começo do ano, o objetivo do Esperantina é disputar a Série B do Amador e buscar uma sonhada vaga na Série A, elite do futebol lençoense.
A missão não é nada fácil, já que o nível da competição cresce a cada ano e apenas o campeão e o vice conseguem o acesso, mas, para o técnico, nada é impossível se houver muito trabalho e dedicação. “Temos que treinar bastante e procurar sempre melhorar nosso futebol. Vontade a gente tem de sobra, vamos ver se conseguimos mostrar isso dentro de campo”, completa.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia