Publicidade
Publicidade
Publicidade
Júri condena dois por homicídio ocorrido em 2004
O caso aconteceu após um desentendimento no recinto da Facilpa
Júri condena dois por homicídio ocorrido em 2004
JÚRI - Dois dos acusados de homicídio foram condenados na última semana (Foto: Nílton César/Divulgação)
Dois homens foram condenados a 12 anos de prisão pela Justiça de Lençóis Paulista por um homicídio cometido em maio do ano de 2004. A sentença saiu na última semana, em julgamento ocorrido no Fórum local. Os condenados, que já haviam cumprido uma pequena parte da pena na época do caso, deixaram o local sob custódia e vão voltar para o presídio para cumprir o restante da pena, em regime fechado.
Na última quinta-feira (21), dois homens acusados de um homicídio ocorrido em maio de 2004 foram levados a júri e, após julgamento, terminaram condenados a 12 anos de prisão. Eles passam agora a cumprir a pena em regime fechado e, como já haviam cumprido uma parte, terão esse tempo subtraído da pena final. Em contato com o Fórum de Lençóis Paulista, foi informado que o local para onde eles serão encaminhados fica a critério da Administração Penitenciária.
RELEMBRE O CASO
Em maio de 2004, após uma confusão ocorrida durante um show da 27ª Facilpa (Feira Agropecuária Comercial e Industrial de Lençóis Paulista), o pintor Carlos Alberto Miranda, de 23 anos, tio de um rapaz que havia sido agredido dentro do recinto teria se desentendido com um dos agressores. Quando chegou em sua casa, foi surpreendido por nove pessoas que o agrediram com socos e pontapés, entre eles oito membros de uma mesma família.
Miranda ficou caído na calçada e foi socorrido pela equipe de resgate do antigo Pronto Socorro de Lençóis Paulista, ficando em observação até o amanhecer e, apesar dos hematomas no rosto, teve alta médica. No mesmo dia, mais tarde, começou a passar mal e voltou ao Pronto Socorro, onde foi atendido por um neurocirurgião que constatou a gravidade dos ferimentos e pediu transferência para a cidade de Bauru.
Já na cidade vizinha, o mesmo passou por uma tomografia, através da qual foi constatado um coágulo em seu cérebro. Ele foi submetido a uma cirurgia de emergência, porém, não resistiu e veio a óbito. Ao longo dos últimos anos, vários envolvidos foram condenados e cumpriram pena, sendo que alguns já estariam em liberdade.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia