Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais pobres não serão beneficiados com casas anunciadas por Prado
Empreendimento é destinado a famílias que ganham entre R$ 1,6 mil e R$ 4 mil; grupo de baixa renda reclama
Mais pobres não serão beneficiados com casas anunciadas por Prado
DE FORA - Grupo que reivindica casas populares diz que 800 famílias que não têm moradia própria vivem com renda inferior à exigida (Foto: Divulgação)
Os termos para a construção do residencial Jardim Yvone, anunciado na semana passada pelo prefeito Anderson Prado de Lima (Rede) através de um jornal de Lençóis Paulista, desagradaram um grupo de pessoas de baixa renda que tem realizado seguidos protestos por moradias populares. Os integrantes, que vêm marcando presença nas sessões da Câmara Municipal e chegaram a realizar uma manifestação com cerca de 100 pessoas, em frente à Prefeitura, não serão atendidos, já que as cerca de 700 casas que serão construídas pela Incorporadora e Construtora Urbanizemais, irão contemplar apenas às faixas 1,5 e 2 do programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), com renda bruta familiar entre R$ 1,6 mil e R$ 4 mil.
Segundo um dos integrantes, Tiago Rodrigues dos Santos, o grupo vai continuar indo na Câmara todas as segundas-feiras. Muitas dessas pessoas vivem em áreas de risco de inundação e querem deixar o imóvel.
De imediato, eles cobram a liberação das casas que estão sendo construídas no prolongamento do Jardim Ibaté e em Alfredo Guedes, cerca de 70 unidades ao todo, para as famílias em situação de risco. As casas fazem parte de um programa da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) e devem ser entregues por meio de sorteio, depois de serem concluídas.
De acordo com Santos, os manifestantes também cobram do poder público a construção de mais conjuntos populares. Segundo ele, cerca de 800 famílias lençoenses, que não têm moradia própria, vivem com renda inferior a R$ 1,5 mil ou não possuem renda. 
Segundo a Prefeitura de Lençóis, um levantamento feito pela Assistência Social aponta um déficit de 3 mil residências na cidade, mas o relatório não divide essas pessoas em faixas de renda. 
A diarista Clarice Pereira da Silva, que mora sozinha e paga aluguel. “Essas casas que o Prado (prefeito Anderson Prado de Lima) está falando não resolve nossa situação. A maior parte das pessoas do grupo está desempregada. Não é casa para nós. Eu não tenho renda fixa. Vamos continuar de fora do programa habitacional”, reclama. 
Já Cirlei Brunai ficou triste em saber que, provavelmente, estará de fora do empreendimento. Ela mora com a filha, o genro e a mãe do genro, de favor. “A luta da minha vida foi tentar conseguir uma casa. Me inscrevi em diversos programas, mas nunca consegui”, define.
 
Pré-cadastro será feito entre os dias 26 e 28 de maio
O proprietário da Incorporadora e Construtora Urbanizemais, de Bauru, Fábio Martins, e a coordenadora de marketing, Cristiane Siena, estiveram em Lençóis Paulista na manhã de ontem (27), para formalizar o lançamento do Residencial Jardim Yvone. Eles receberam a imprensa em entrevista realizada na Prefeitura, mas o prefeito Anderson Prado de Lima (Rede) não participou do encontro.
O empreendimento é particular, mas contará com apoio institucional e técnico da Prefeitura, como a disponibilização do ginásio do Tonicão para que a construtora possa fazer um levantamento dos interessados. O pré-cadastro será realizado nos dias 26, 27 e 28 de maio, das 9h às 17h. “Em muitas cidades encontramos um entrave, não conseguimos legalizar, regularizar, e aqui encontramos total apoio”, avalia Martins. Toda a infraestrutura urbana (asfalto, guias, sarjetas e galerias e rede elétrica) é de responsabilidade da construtora. 
As casas serão construídas em área próxima do Jardim Maria Luiza IV, em terreno particular. De acordo com Cristiane, o residencial é voltado a pessoas que se enquadram nas faixas 1,5 e 2 do Minha Casa Minha Vida, com renda bruta familiar entre R$ 1,6 e R$ 4 mil, portanto, não engloba a população de renda menor ou renda zero, segundo a coordenadora marketing. 
O evento de pré-cadastramento será para levantamento de demanda. “Nós sabemos da deficiência da cidade na questão da habitação, porém queremos fazer um levantamento mais específico da quantidade renda da população. A intenção é receber até 10 mil pessoas”, explica Cristiane. Ainda de acordo com a coordenadora de marketing, o subsídio do programa pode chegar a R$ 15,8 mil. A análise é feita pela Caixa Econômica Federal, e varia de acordo com o perfil de cada candidato. O pré-cadastro será aberto a todos, independentemente da faixa de renda.
Ainda de acordo com a construtora, as casas ocuparão terrenos de 200 metros, com 45 metros de área construída (dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço). As parcelas do financiamento são a partir de R$ 480. O valor total do imóvel é de R$ 99.999. 
DOCUMENTOS
Para o cadastramento e análise prévia do financiamento a ser realizado nos dias 26, 27 e 28 de maio, os interessados devem apresentar RG e CPF originais, comprovante de residência, comprovante de estado civil e comprovação de renda, holerite e carteira de trabalho se for profissional registrado. Os profissionais liberais, autônomos e empresários devem apresentar uma cópia do Imposto de Renda (IR), extratos bancários dos últimos três meses e aposentados devem levar o último extrato do INSS.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia