Publicidade
Publicidade
Publicidade
Marcelo Ranzani
Médico vai trazer informações para você ficar em dia com sua saúde
O frio provoca mais infarto
O número de infartos do miocárdio no inverno aumenta quase 30% em relação às outras épocas do ano. Os dados são de uma pesquisa publicada pelo British Medical Journal, periódico científico inglês.
A hipótese mais óbvia seria que o próprio frio seria a causa; a fuga do sangue da superfície da pele, tenta conservar o calor do corpo, perdendo menos calor para o ambiente ao redor. Assim, se baseia na vasoconstrição (que é a contração dos vasos sanguíneos) para manter o equilíbrio térmico do corpo. Dessa maneira, é comum o aparecimento ou o agravamento da pressão arterial nesse período de mais frio.
Também, nesse período ocorrem com muito mais frequência, infecções virais. O ar frio e seco, dissipa partículas com mais eficiência; além disso, os ambientes normalmente têm menos arejamento - todo mundo se fecha para não se expor ao frio. Ocorrem mais aglomerações de pessoas e há menos exposição ao sol. Dessa maneira, no inverno há maior número de pessoas em curso de processos infecciosos, como resfriados e gripes. Essa reação inflamatória sistêmica favorece a inflamação endotelial (*endotélio é a camada mais interna dos vasos sanguíneos) e por consequência pode provocar a formação de trombos (coágulos) dentro de artérias em que já existem placas de gordura (*placas de ateroma). Se isso aparece nas artérias coronárias, aquelas responsáveis por levar oxigênio para o tecido muscular do coração, se estabelece o Infarto.
Uma terceira hipótese é que, com o frio, o sangue pode ficar mais viscoso, mais denso. Por isso, é necessário ingerir mais líquido, até mais que durante o verão. Para um adulto saudável, uma quantidade razoável indicada é manter a ingestão de dois litros por dia.
O colesterol alto é silencioso e não tem sintomas. Metade das pessoas que morrem de causa súbita do coração tem colesterol alto e não sabia. Por isso, é tão importante checar a pressão arterial periodicamente e medir os níveis de colesterol e triglicerídeos. Outros fatores de risco, como o Cigarro, Diabetes e o Sedentarismo devem ser tratados com seriedade pelas pessoas, pois, muitos vão deixar de fumar, vão tentar controlar melhor o açúcar do sangue, ou iniciar exercícios físicos, depois de apresentar um infarto não letal, ou ter outra doença cardiovascular, tal como um AVC (*Acidente Vascular Cerebral). 
Prevenir é sempre melhor, mais fácil que remediar. Todo mundo já sabe disso, mas, mais da metade das pessoas não aplica essa regra para si mesmo. É por isso que, cada vez mais, temos mortes por doenças cardiovasculares no Brasil.
comentários Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para o Artigo. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia