Publicidade
Publicidade
Publicidade
Adrenaline-se
por Gabriel Cochi que é diagramador e paraquedista
Você vive?
Conheço uma frase que diz que não devemos acumular anos, mas sim, viver... O que você faz? Vive? Acumula anos? Bom, terça-feira eu completo mais uma primavera e posso dizer que tenho vivido cada momento, em vez de acumular anos, tenho acumulado experiências, as melhores...
Se engana quem pensa que falo somente de paraquedismo aqui. Desde quando voltei ao Jornal O ECO, tenho aprendido muito e aprendido bem. Quem disse que jornalista não pode ser movido a adrenalina?
Toda vez que recebo uma informação de que tem algo acontecendo e eu preciso sair para fazer foto, meu coração dispara, afinal nunca sei o que vai acontecer. Foi assim quando a polícia parou alguns bandidos no pedágio, quando eu estava lá eu pensava “é isso que eu quero, era isso que eu procurava no jornalismo”. O coração dispara e os dedos passam a disparar também, sempre em busca do melhor ângulo.
Ou como foi quando Lençóis foi atingida pela enchente. Eu não sabia o que fazer, a única coisa que pude foi registrar e ajudar, na medida do possível, quem precisou de mim. Fiquei a madrugada toda perambulando pela cidade, fazendo meu trabalho e tentando ajudar. O dia raiou e eu continuei na busca, fui parar só quando o dia acabou, mas a enchente não.
O que me moveu nestes dois momentos? Adrenalina.
Minha mãe já desistiu de falar que sou louco, pois além de tê-la deixado quase louca quando comecei a saltar de paraquedas, deixo ela aflita toda vez que vou atrás de uma ocorrência fazer uma foto, uma entrevista, seja o que for. E já me perguntaram o motivo de eu gostar tanto de cobrir ocorrências, aqui vai a resposta: muitos não sabem, mas eu sempre quis ser policial, prestei concurso, passei no teórico e no físico, mas no médico nem fui, 3 graus de miopia não me deixariam entrar na academia (talvez deixasse, mas infelizmente não arrisquei), muito menos pilotar o Águia, afinal era esse meu objetivo, meu amor pelo céu sempre foi e sempre será o mesmo.
Hoje minha vida é movida por isso, buscar informações, informar, fotografar, diagramar e, claro, tudo isso pra no pagamento saltar... Eu amo o que faço, porque faço o que amo, pode parecer clichê, mas é a realidade!
Pretendo agora nunca mais acumular anos mas, sim, experiências de vida. Quero saltar mais, quero voar mais, quero fotografar mais, quero diagramar mais, quero mergulhar, nadar, correr, brincar, viver como uma criança, no melhor sentido da palavra e, claro, daqui três dias, parabéns pra mim, que venham muitas experiências para eu acumular!
comentários Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para o Artigo. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia